Tatiane Spitzner: Mais um caso de Violência contra a Mulher!


Tatiane Spitzner: Mais um caso de Violência contra a Mulher!


 

Oi amiga…

Infelizmente o artigo de hoje é para comentar sobre uma notícia triste e lamentável, que você deve ter acompanhado nos noticiários dos últimos dias.

Dia 22 de Julho de 2018, Tatiane Spitzner, uma jovem Advogada de 29 anos, com um futuro brilhante pela frente, teve sua vida interrompida de forma brutal por alguém que jurou um dia amá-la e respeitá-la.

Luis Felipe Manvailer, marido de Tatiane, está sob suspeita de tê-la jogado do quarto andar do apartamento onde moravam.

Independente dela ter caído (o que acho pouco provável), ou ter sido arremessada por ele, a culpa desta morte prematura é toda DELE!

Cenas gravadas no dia da morte dela mostravam um trailer de um filme de terror: gritos de socorro, empurrões, apertos, chutes, golpes, puxões de cabelo, perseguição.

Tatiane tentou fugir, mas foi em vão. Mais uma vítima de uxoricídio, onde o marido mata a própria esposa.

Vem comigo, preciso te dizer umas coisas extremamente importantes agora…

 

 


Em briga de Marido e Mulher, não meta a colher. Entre com uma faca!


 

A perseguição atrás de Tatiane Spitzner não foi silenciosa. Enquanto a moça corria desesperadamente tentando se livrar do marido, ela gritava por socorro.

Quantas pessoas devem ter ouvido esses apelos, mas seguiram com suas rotinas sem mover um dedo para ajudá-la?

Um vizinho, um porteiro, um curioso… Ninguém!

As pessoas estão sempre se metendo na vida alheia, mas quando realmente deveriam interferir, elas se ausentam.

Não faz o menor sentido!

Medo, talvez? Ou simplesmente a máxima de que “em briga de marido e mulher, ninguém mete a colher”?

Pois minha amiga, vou te dizer uma coisa: Realmente, não meta a colher. Entre direto com uma faca!

Vivi para ver uma amiga quase ser vítima de um idiota que só tinha músculos. Certa vez diante dos amigos, ele deu uma de machão e obrigou ela a ficar ao lado dele, bebendo em uma mesa.

Ela não queria estar ali, e isso estava visível.

Saí de onde eu estava e fui até ela, chamando-a a vir comigo. Ela estava visivelmente com medo, e falou que ia ficar.

Ao lado estava ele, agarrado ao braço dela.

Insisti mais uma vez, e ela visivelmente assustada não levantou. Peguei a mão dela e a puxei. Nessa hora o idiota levantou da mesa e veio pra cima de mim.

O cara tinha cerca de 1.80 m, e era imensamente forte. Mas a minha raiva da situação foi tão grande, que ele não me intimidou nem um pouco.

Batemos boca, até que um carro da polícia parou perto, e minha amiga disse que estava tudo bem, e que iria logo depois de mim.

Foi a única vez que presenciei algo assim, e espero nunca mais vivenciar.

Voltei pra casa com o coração aflito, e fiquei mais preocupada ainda quando conversei com ela depois, alertando sobre ele, e ela continuou defendendo o demônio.

Aprendi duas coisas esse dia:

 

1 – Não importa se a boa educação te diz para não se meter na vida dos outros; se uma mulher estiver sendo maltratada e você puder ajudar, faça! Se não puder agir, denuncie! Ligue 180.

2 – Insista em abrir os olhos da pessoa que não consegue enxergar o mal, mas não se esqueça que essa tarefa pode ser difícil, e você não deve se culpar por algo de ruim que aconteça.

 

É claro que temos medo do que pode acontecer. Podemos nos tornar vítimas também.

Mas dentro do possível, quando puder ajudar alguém, ajude. Poderia ser você no lugar dela.

Se você tem uma amiga que está se envolvendo com alguém de caráter duvidoso, é sua obrigação alertá-la! Mesmo que ela ache ruim.

 

 


Por que se envolver com um Homem violento?


 

Por favor, presta muita atenção:

Nem todo homem violento começa te maltratando de cara. A verdade é que no começo tudo são flores, e ele vai te tratar como você espera ser tratada – afinal, é esse o jogo da conquista.

Mas todo homem violento perde a linha em algum momento, e é neste ponto que você precisa estar atenta!

Na hora da raiva, nem sempre o impulso pode ser controlado, e a máscara cai.

Pode ser um grito, uma humilhação. Pode ser um aperto no braço, pode ser uma puxada violenta, pode ser um tapa.

Esses sinais sutis podem estar te mostrando que o cara romântico tem um lado sombrio.

Não vem estampado na testa. Na verdade, quase sempre vem bem disfarçado de bom moço.

Isso nos leva ao que sempre te digo: Cuidado ao se envolver rápido demais. Conheça melhor a pessoa, saiba como ele é em sociedade, como trata os outros, como lida com a vida, como lida com dificuldades.

Conheça o passado dele. Entenda como foram os outros relacionamentos dele.

Deixe que ele fale sobre as mulheres com quem conviveu. Analise se há um padrão onde ele faz parecer que a culpa era sempre delas.

Esses cuidados não vão evitar 100% que você se envolva com um abusador violento, mas te ajudarão a identificar homens que não são o que aparentam ser.

A convivência nos faz entender melhor o outro, mas para isso você precisa estar aberta à observações.

Isso inclui parar de romantizar tudo e de dar desculpas para comportamentos estranhos dele. Além também, de começar a dar ouvidos àqueles que te alertam de alguma forma sobre quem é a pessoa que está ao seu lado.

 


Conheça antes, e continue conhecendo depois!


 

Homens violentos acham que a mulher é um objeto de posse. Eles sabem como alimentar o seu interesse, e te deixar apaixonada, frágil.

Eles conseguem acertar seus pontos fracos, e frequentemente fazem a mulher se sentir inferior, e até mesmo sortuda em estar com o cara.

Não caia nessa! A culpa não é sua! Não entre nesse jogo! Não se permita ser inferiorizada nem ameaçada.

Não sofra calada!

Eles serão românticos, atenciosos, carinhosos. Nos momentos onde não puderem conter o impulso violento, eles vão começar com pequenos gestos de violência, e em seguida pedirão perdão, jurando que nunca mais acontecerá.

Ele vai chorar. Vai parecer convincente. Você vai sentir pena, perdoar, mas vai acontecer de novo. E pode ser muito pior.

Se você permite um grito, em seguida permitirá um tapa.

Em algum momento se verá dentro de um relacionamento abusivo, cercado por violências e ameaças.

Pronto. Ele atingiu seu ponto fraco. Ele te aterrorizou. Ele te tem na mão.

Nada que te disserem vai ser suficiente. Nada que ele fizer vai ser suficiente. Você vai alimentar a paranoia de que “foi sem querer”, foi “só uma vez”, ou que “ele vai mudar”.

Mas tudo piora, e agora você tem medo. Você aceita calada, e finge para todos que está tudo bem. Você até tenta fazer as coisas ficarem bem de novo.

Mas elas não ficarão. E no fundo, você sabe.

E o que é pior: Você não entende como alguém que jurou te amar, que fez coisas tão lindas por você, agora te trata dessa forma. Parece outra pessoa.

É inexplicável e incompreensível.

 

 


Vida de fachada


 

Enfim, amiga, abra seus olhos.

Eu sei que a Disney criou um conto de fadas lindo, mas a realidade nem sempre combina com a ficção.

Cuidado com quem você se envolve. Cuidado para os sinais claros (ou mesmo sutis) que você finge não ver ou deixa passar. Cuidado com a falsa ilusão de mudar o outro.

E quando estiver se lamentando pela vida “perfeita” de alguém nas redes sociais, lembre deste caso.

Tatiane Spitzner e o marido tinham uma vida linda nas redes sociais. Parecia haver amor e romance, cuidado e companheirismo, e com certeza isso um dia existiu.

Mas o que ela enfrentava nos bastidores era completamente diferente. Com certeza não é algo que causaria inveja e desejo em outras mulheres.

Nem tudo que parece é, e as vezes é preciso aprender a observar além do que todo mundo vê.

Que você nunca precise passar por algo parecido. Mas se por acaso se identificar com algo aqui, ou conhecer alguém com uma história parecida, não se cale!

Não tenha medo de pedir ajuda. Não deixe que o menor sinal de violência continue. Não alimente a esperança de que ele vai mudar. Não oculte hematomas quando alguém tentar te ajudar.

Por favor, não faça parte dessa triste estatística que só cresce. Quem ama, cuida. Lembre disso.

Um beijo, sua linda! :*

 

error: Este conteúdo é protegido!