Ai essa coisa de fazer joguinho de amor não é pra mim…


Ai essa coisa de fazer joguinho de amor não é pra mim… Tem certeza?


Faaaala minha amiga mais gata! Como você tá?

Sim, eu dei uma sumida porque estava de férias (sou filha de Deus também né!). Mas estamos de volta e já vamos começar “caçando conversa” – hahaha.

Nas minhas andanças pela web, vez ou outra eu encontro algumas pérolas perdidas sabe? E sempre acho um comentário feminino que diz algo parecido com o texto abaixo:

“Ai, essa coisa de fazer joguinho de amor é a maior furada! O cara tem que te aceitar como você é! Você não pode fingir ser outra pessoa, ficar nessa de “não faz isso não faz aquilo”, seja você! Abra seu coração e diga tudo que sente! Não fica seguindo regrinhas de como agir ou o que dizer. Isso é a maior idiotice!”.

E bla bla bla…

E daí que eu leio essas coisas e fico pensando: “Não sei se falo, não sei se falo… Ah, dane-se vou falar!”.


Joguinhos de amor? Mas que furada!


Sim, eu concordo que você não precisa sempre interpretar papeis para conquistar o homem dos seus sonhos, e que precisa de verdade mostrar sua personalidade assim como você é, no momento certo.

Também não acho nada justo que seja um papel feminino ficar se adequando ao comportamento masculino. Massss…

Se tem uma coisa que aprendi é que as pessoas pedem sinceridade mas não estão preparadas para isso! Nem toda verdade precisa ser dita, ou pelo menos existem momentos mais adequados para falar/demonstrar.

Seria lindo se o mundo funcionasse como essas pessoas acreditam: “Abra seu coração!”. Isso boba, vai lá… Abre teu coração e coloca bem espalhado que é pra pisotearem bem.


  • Conheça um cara hoje e mande um “eu te amo” amanhã pra ver se vai receber de volta um “eu te amo também”!
  • Fica mandando mensagem pra ele o dia todo, elogiando, dizendo que quer vê-lo de novo, pra ver se ele não corre ligeirinho.
  • Diz pra ele que já tá sonhando com o casamento de vocês e com o nome dos três filhos que terão, e observa só a desculpa que ele vai dar pra fugir.

Casos diferentes destes acima são exceção, não a regra! Mas não se apavore… Abra seu coração e diga tudo que sente. Expresse cada sentimento com atos e palavras, e tudo ficará bem – bem mal!


Apenas seja você mesma…


E se o fato de “ser você mesma” for a pior coisa que você pode fazer? Se “ser você mesma” significa afastar todas as possibilidades de ter alguém por perto? Será que ser você mesma é melhor do que apresentar uma versão melhor e mais esperta de você?

E se “ser você mesma” significa mostrar um lado arrogante, idiota, fútil, ingênuo, bonzinho…, que afasta as pessoas porque ninguém te suporta, ou atrai as pessoas porque querem se aproveitar de você?

Isso é realmente vantajoso?

Se ao “fazer um joguinho” você acaba descobrindo que pode se tornar uma mulher ainda mais incrível, e gosta desse resultado, porque não entrar na brincadeira?

Mas o que importa é ser você mesma né? Mesmo que ser você signifique fazer o outro ter que te aturar, ou fingir que gosta de você (quando na verdade só te usa).

Acho engraçado ver mulher falando isso, quando na verdade já entra em uma relação querendo mudar tudo no homem, mas esperando que ele a aceite como ela é. Muito justo isso!

Você não precisa ser sempre a mesma, se puder ser ainda melhor! Existem características suas que sim, devem ser mantidas com certeza, pois são sua essência, formam quem você é, e não precisa mudar isso. Porém, existe muito que pode ser melhorado se você se permitir evoluir! E não dá pra evoluir repetindo sempre os mesmos hábitos!


Não entre em joguinhos, aja naturalmente…


E qual é o seu natural? Tenho certeza que em uma festa você não age como agiria se estivesse em uma igreja. Não se comporta em um jantar de família da mesma forma que se comporta com seus melhores amigos.

O nosso natural de certa forma se adapta ao ambiente onde estamos – pelo menos em pessoas com semancol! Temos regras que nos ajudam a conviver melhor em sociedade, e isso nos impede de agir como bem entendemos em qualquer lugar.

Por que, então, você acha tão errado adaptar o seu comportamento às fases de um relacionamento? Entrar no jogo mental que os homens fazem (mesmo sem perceber) é simplesmente se adaptar e agir de formas que trarão melhores resultados para aquela situação.

Não há nada de errado nisso, não estará deixando de ser quem você é, não estará se tornando outra pessoa. Na verdade, poderá sim mudar seu modo de ser quando perceber que suas novas atitudes transformaram suas experiências para melhor. Isso é evoluir, mas não significa que você não seja mais você.

Está conseguindo me entender? Não sei se estou sendo clara…

Obviamente existem personalidades e personalidades… Algumas mulheres conseguem seguir “regras” com mais facilidade e outras não. Respeito isso. Mas não acho legal você dizer a uma mulher que sofre de baixa estima e é carente o suficiente pra deixar qualquer homem usá-la quando bem entender, que essa mulher deve “ser ela mesma” e continuar agindo assim.

Isso não ajuda, e só piora as coisas!

Deixa essa mulher interpretar um papel! Deixa ela fingir que se valoriza, que se ama, que não corre atrás de qualquer homem, e nem deixa que eles a usem quando querem.

Deixa essa mulher fingir que dentro dela existe uma mulher forte e determinada – porque muitas vezes existe mesmo, e ela só não teve oportunidade de sentir como é ser assim. Quando ela joga e vê os resultados, ela percebe que mudar faz bem, e que de tanto fingir ser poderosa, ela realmente pode começar a ser.


Mulheres jogam. Homens também.


Aceite você ou não, mas se relacionar não é algo que costuma acontecer naturalmente. Interpretamos papeis na maioria das vezes, seja isso certo ou não, mas fazemos – em maior, ou menor grau.

Sabemos que o primeiro encontro é para conhecer a pessoa, então nos comportamos de modo a buscar saber mais sobre ela, quando na verdade em alguns momentos gostaríamos de não fingir e ir direto ao assunto. Algumas pessoas quebram a “regra” e outras não.

Homens sabem (ou deveriam saber) que nem todas as mulheres se entregam tão facilmente. Em sua maioria a gente espera ter um mínimo de conexão com o cara pra quem iremos tirar a roupa. Logo, eles seguem o protocolo de levar para sair, conversar, pagar algo, e por fim tentar.

Imagine o que aconteceria se o cara chegasse no primeiro momento que te viu, antes de dizer “oi”, e dissesse: “Quero te comer!”. Fala sério, isso soaria normal e aceitável para você, ou seria, no mínimo, desrespeitoso?

Seria desrespeitoso? Rude? Agressivo? Ué, mas não é pra agir com naturalidade?

Então eu te digo: É exatamente isso que se passa na mente dele! Ele não olha pra você imaginando o casamento, os três filhos e o cachorro. Não mesmo! Mas ele sabe que precisa entrar no joguinho de sedução para – quem sabe – conseguir sexo contigo.

A cada fase onde o relacionamento avança, tornam-se necessários alguns joguinhos para manter as coisas em ordem e o interesse ativo. Mais atenção, um pouco romantismo, coisas a tolerar, defeitos a controlar/mudar, concessões a fazer… É assim que duas pessoas se entendem por anos juntas: uma faz o que pode pelo bem estar da outra, e pelo bom relacionamento.

Mais uma vez: há personalidades e personalidades. Você pode achar um ogro que não está nem aí pra nada e ser feliz com ele desse jeito (ou o inverso).


Por fim…


Muita calma quando disser para uma pessoa “ser natural, ou ser ela mesma”. Tenha certeza que o natural dela é adequado para a situação.

Se você não concorda que fazer joguinhos te ajudarão em algo, se suas experiências são sempre boas agindo do jeito que bem entende, ótimo! Parabéns! Mas tenha em mente que essa é a sua vida, a sua personalidade.

A outra pessoa é diferente de você, pode não se sair tão bem, pode ter um jeito natural de ser que é catastrófico e só atrai quem não presta. E nesse caso, receber dicas de como se comportar pode ser algo que mudará a vida dela, que a fará enxergar novas perspectivas, erros, e formas de como se tornar ainda melhor.

Sim, o outro deve te amar como você é! Mas vamos ser sinceras, se dá pra melhorar então não custa nada né?! Se dá pra desfazer ideias erradas, mudar comportamentos, se tornar mais esperta e irresistível, qual é o problema?!

Eu adoraria explicar sobre relacionamentos sem dar “receitas de bolo”, pois sei da individualidade das pessoas e seus relacionamentos… Cada caso é um caso. Mas acontece que quando eu fazia isso, notava que as mulheres não entendiam o que eu queria dizer. Elas precisavam de um exemplo prático.

Recebia e-mails me perguntando “Como me amar mais? Como me valorizar? Como ser indiferente?”, e percebi que dar exemplos poderia fazer com elas o mesmo que fez comigo: Colocar uma nova mensagem em suas mentes, dando algo a que seu cérebro pudesse comparar para depois tomar suas próprias decisões com base no que aprendeu.

Essa é a minha intenção nesse blog. Esse foi o caminho que me levou de idiota que sempre tomava um pé na bunda, a mulher que aprendeu a selecionar os homens que mereciam minha atenção.

E quer saber? Se eu soubesse que pra mudar tanto bastava praticar alguns joguinhos, então eu tinha feito isso muito antes!

Um beijo, sua linda! :*

Compartilha aí com as amigas:
error: Este conteúdo é protegido!